IEM4.0: automação e robótica de Ovar para mundo

Nuno Casais, Gabriel Bastos e Jorge Resende - IEM4.0

A IEM 4.0 é uma empresa que alavanca a indústria automóvel com as suas inovações de automação e robótica. A criatividade, o engenho e o conhecimento de mercado são palavras de ordem para esta empresa que está há quatro anos a crescer a um rácio de 20 por cento anualmente.

Na foto: Nuno Casais, Gabriel Bastos e Jorge ResendeIEM4.0

A IEM 4.0 – Inovação e Robótica em Engenharia de Máquinas pode ser considerada o paraíso para todos os aficionados por engenharia e robótica. Aqui, chegam problemas de produtividade de outras empresas, o que dá origem às ideias e execução de soluções para automatizar processos produtivos. Quase a totalidade dos clientes que procuram esta empresa de Ovar, criada há quatro anos por Jorge Resende, Gabriel Bastos e Nuno Cascais, pertencem à indústria automóvel, nomeadamente, ao setor electrónico automóvel.

A IEM 4.0 surgiu da visão de que as empresas de automação e robótica para o mercado automóvel estavam muito focadas no fator preço. “Uma vez que tínhamos conhecimento do setor automóvel lá fora, percebemos que havia a oportunidade, em Portugal, de envolver mais tecnologia em determinados processos produtivos a um preço competitivo. Assim, decidimos criar a IEM 4.0 e os primeiros projetos validaram exatamente a nossa filosofia”, conta Nuno Cascais, que, além de Sócio-Gerente, é responsável pelos departamentos Comercial e Financeiro desta PME, que tem apresentado um crescimento exponencial, ano após ano, desde a sua criação.

Só no primeiro ano de atividade, e em apenas cinco meses de atividade, a faturação da empresa cifrou-se nos 47 mil euros, tendo subido, no ano seguinte, para perto dos 600 mil euros. Anualmente, a empresa tem registado um aumento de 20 por cento em termos de faturação, sendo que a exportação, neste momento, já pesa 40 por cento do total de vendas. França, Bélgica e Estados Unidos são os principais destinos. Este ano, antecipam os responsáveis, será “o melhor ano em termos de vendas” para a empresa de Ovar.

No entanto, a empresa está agora mais focada nos objetivos tecnológicos de forma a continuar a evoluir em todas as áreas. “Sem esse desenvolvimento não conseguimos acompanhar as necessidades dos nossos clientes, principalmente quando atravessamos a era da I5.0. Com base neste princípio apresentamos sistematicamente ao mercado, soluções diferenciadoras e dentro de alguns meses, vamos apresentar novidades que vão proporcionar aos nossos clientes uma maior flexibilidade ao utilizar as nossas soluções” refere Jorge Resende, o responsável pelo Departamento de Automação e Robótica. Este departamento trabalha em conjugação com o Departamento de Mecânica, cujo responsável é Gabriel Bastos. É no seu departamento que todas as ideias ganham forma, mas este processo criativo nem sempre é simples. “Conjugar várias ideias e fazer com que o resultado final seja algo funcional e produtivo é complexo, temos muitas variáveis/princípios mecânicos que têm de ser estudados de forma a incluir todo o desenvolvimento das soluções tecnológicas. Mas isso é algo que nos apaixona e reflete-se positivamente no nosso trabalho. Os designs das nossas soluções têm evoluído de forma exponencial e, este ano, lançamos o nosso modelo standard ao nível construtivo e de imagem corporativa. O feedback dos nossos clientes tem sido bastante positivo”, refere Gabriel Bastos.

IEM 4.0 nasceu numa incubadora, o que lhes proporcionou os recursos necessários para arrancarem com o projeto. A partir daí, o foco foi investir nas ferramentas e processos que permitissem controlar todo o processo produtivo. Além disso, inicialmente, o modelo de negócio focava-se apenas em produzir máquinas personalizadas para problemas específicos dos clientes, mas, hoje, expandiu para áreas que permitem uma maior estabilidade. “Decidimos orientar a nossa atividade segundo processos e soluções mais específicos. Já não estamos a aguardar que os clientes venham ter connosco para solucionar problemas, pelo contrário, estamos a antecipar-nos com soluções para problemas que já detetámos”, esclarece Nuno Cascais. Com 17 colaboradores, a IEM 4.0 tornou-se, em quatro anos, numa PME de excelência, e o seu trabalho promete alavancar a já competitiva indústria automóvel – e futuramente, outras – a nível nacional e, também, mundial.

Contacts:
Posted by: AdminPEDteste on