O triângulo sustentável: Recursos-Infralobo-Clientes

Carlos Manso

A gestão da água e o respeito pelo ambiente são duas realidades que se complementam na Infralobo. Conheça esta empresa através das palavras de Carlos Manso, o Presidente do Conselho de Administração.

Loulé tem sido um concelho pioneiro na gestão de recursos naturais. As empresas residentes têm seguido o exemplo imposto pelo Presidente da Câmara Municipal de Loulé, Vítor Aleixo, que é, igualmente, Presidente do Conselho de Administração (PCA) da AREAL (Agência Regional de Ambiente e Energia do Algarve).
A Infralobo, liderada por Carlos Manso desde 2018, e cujo envolvimento em questões relacionadas com o meio ambiente já vem desde a sua génese, faz com que seja possível continuar a prestar um serviço de qualidade aos clientes, quer ao nível do produto, quer no âmbito da responsabilidade social e eficiência da gestão hídrica. Neste seguimento, o PCA da Infralobo, confidenciou que o maior desafio com que se deparou até agora foi “enfrentar o desconhecido, isto é, gerir a empresa e implementar esses projetos no contexto pandémico”.

Investir num futuro sustentável
Reduzir a pegada ecológica da empresa e dos seus clientes tem sido uma prioridade na Infralobo. No início, o investimento foi realizado nas infraestruturas básicas de gestão de água, saneamento, recolha de resíduos sólidos urbanos e diferenciados e na rede viária.
No entanto, não descartando esse esforço uma vez que “garantiu que pudéssemos olhar para os desafios da atualidade de forma mais estruturada e organizada”, a ambição de melhoramento continuava presente. A eficiência era a visão e a tecnologia o meio, então, a empresa começou a apostar no fornecimento de energia renovável através de painéis fotovoltaicos nas suas infraestruturas, tendo investido cerca de 62 mil euros para esse efeito. Carlos Manso explica “por exemplo, os depósitos de água, durante o dia, já têm capacidade para toda a energia que é consumida pelo sistema de bombagem, igualmente produzido de forma sustentável”. Acrescenta ainda que “cerca de 33% dos nossos consumos, do ponto de vista energético, já são efetuados através de energia renovável.
Aliás, em média, 28% a 30% dos quilómetros percorridos são com recurso a viaturas elétricas que apresentam uma particularidade: o abastecimento através dos nossos painéis fotovoltaicos”.

A 2.ª melhor entidade gestora de água não faturada
Portugal tem sofrido as consequências das alterações climáticas, principalmente por meio de secas intensas que se têm manifestado relevantes na região do Algarve, onde a Infralobo se insere. Carlos Manso mostra-se preocupado com os números, “os dados científicos revelam que, até 2040, a região do Algarve terá uma quantidade muito inferior de água disponível”, revelando que é necessário “respeitar este recurso natural”.
Assim sendo, a empresa preocupou-se em atualizar as antigas infraestruturas de abastecimento de água, tendo feito nos “últimos dez anos um caminho positivo que nos levou a ser considerados a 2.ª melhor entidade gestora da água não faturada”. O papel principal passou pela renovação e investimentos realizados nos reservatórios e outros tipos de Infraestruturas, para assegurar uma distribuição de água mais eficiente até aos consumidores finais. Para além disso, foi implementado um sistema de telemetria integral, como forma de ajudar os clientes a terem gastos mais inteligentes e gerirem da melhor forma os seus gastos hídricos. Outro fator relevante deste sistema é o de ajudar na identificação de ruturas numa certa zona, ou fugas na rede predial, como por exemplo, quando são gastos mais 4 litros por hora durante 24 horas num domicílio. Todos estes sistemas “fortalecem aquilo a que nós chamamos de triângulo, composto pelos elementos recurso-infralobo-clientes”. Facto é que a implementação de um sistema de rega inteligente colocou a Infralobo, mais uma vez, na linha da frente na gestão de recursos hídricos.

Green Smile Infralobo”
Consciente do ditado “se queremos deixar um planeta aos nossos filhos, devemos plantar árvores”, Carlos Manso explica que o Green Smile é um projeto que visa incentivar os clientes a plantar árvores, no sentido de assegurar um planeta melhor para as gerações futuras. O processo tem sido simples: foi enviado um questionário para todos os clientes com o intuito de saber se tinham a intenção de participar. Em caso de resposta afirmativa, a Infralobo oferece a árvore para que possa ser plantada onde o participante assim desejar. Com mais de 100 inscritos até à data, “este é um projeto do qual nos orgulhamos imenso e que irá continuar até atingirmos as 2400 árvores”, afirma o entrevistado.

Próximo passo: inovação e sustentabilidade
Assumindo o valor da sua responsabilidade, a Infralobo pretende “atingir a sustentabilidade”, a qual é vista como “uma pequena contribuição em prol de uma causa maior”.
Para assim o alcançar, o grande plano para o futuro é o de criar uma plataforma onde os clientes possam aceder aos consumos de água que são realizados na sua casa e “inclusive disponibilizar o sistema inteligente de rega para que possam fazer uma gestão mais eficiente dos seus jardins privados”. Uma parceria com a ALGAR, entidade que realiza a recolha de resíduos sólidos e seletivos, também está no horizonte, de forma a reduzir ainda mais a pegada ecológica dos seus clientes.

Contacts:
Posted by: AdminPEDteste on
Tags: