“Sonho com a Arcobarca Internacional”

Venâncio Fernandes

Gestor e empresário, Venâncio Fernandes, envereda pelo ramo imobiliário no qual encontra o sucesso em território nacional, mas confessa o sonho de levar o nome Arcobarca além-fronteiras.

Esteve mais de uma década associado ao setor bancário e está há cerca de 15 anos ligado ao ramo imobiliário, como empresário. A sua experiência na banca teve influência quando decidiu abrir a sua primeira loja?
Exatamente. Aliás, o impulso para esta área advém da experiência que adquiri no setor bancário, nomeadamente na área de concessão e crédito à habitação, bem como do acompanhamento aos industriais da construção civil. Todos estes conhecimentos obtidos na anterior experiência profissional acabaram por ser o primeiro contacto que tive com a área e, para além disso, revelaram-se ferramentas indispensáveis no momento em que decidi abraçar o projeto da Arcobarca.

A Arcobarca apresenta um percurso de crescimento e expansão equilibrados com as exigências do mercado e dos clientes. A que se deve este sucesso e quais os valores que vos regem?
Iniciámos a nossa atividade como marca independente em 2007, aquando do início da crise financeira. O facto do nosso país estar a atravessar um momento tão delicado, ajudou-me a ser ponderado e rigoroso na gestão da empresa. Além disso, eu tinha acabado de sair de uma instituição que foi uma verdadeira escola quer em termos do foco no cliente e no que concerne ao rigor de gestão. Este background de formação e conhecimento, foi o pilar do nosso sucesso em tempos muito difíceis. O saber da área do financiamento, da avaliação e os níveis de qualidade no atendimento foram fatores que nos levaram ao êxito, acrescidos dos valores da seriedade, transparência e disponibilidade. A formação contínua ao mais alto nível (Máximo Forte/ Paulo Vilhena), foram o quarto pilar de sustentação. Importa ainda referir que os nossos profissionais sabem falar vários idiomas, nomeadamente, o português, o inglês, o francês e o espanhol, o que possibilita um melhor acompanhamento a clientes tanto ao nível nacional como estrangeiro.

Atualmente marcam presença em eventos presenciais, como o IMOBINVEST. Vão estar presentes em mais eventos? Esta é uma forma de divulgação da marca e de, finalmente, estarem mais perto dos vossos parceiros e clientes?
Sim. Quando adquiri a marca Arcobarca, sabia que a diferença do sucesso nos negócios estava em esperar pelo cliente ou ir ao encontro do mesmo. Como conhecia o mercado onde nos inseríamos, tinha a noção de que cerca de 50% das transações eram com clientes da área da emigração, 20% na segundo habitação, outros 20% no mercado local e 10% estrangeiros. A estratégia que defini foi a de iniciarmos os contactos diretos com os nossos emigrantes, nos seus locais de residência e foi dessa forma que demos início aos eventos em França. Os negócios começaram a florescer, seguiu-se a parte da segunda habitação e iniciamos a frequência dos nossos eventos na IMOBITUR/IMOBINVEST. Faltava-nos a área do mercado de estrangeiros e aí expandimos para o SIL (Salão Imobiliário de Portugal), onde estaremos mais uma vez no próximo mês de maio, nos dias 12, 13, 14 e 15. Somos a única empresa do distrito a fazê-lo. Nunca fomos a nenhum evento com o intuito de concretizar negócios, mas sim para divulgar e aumentar a notoriedade da marca, aliada à promoção dos imóveis dos nossos clientes.

Paredes de Coura

Na sua ótica, o mercado imobiliário nacional tem espaço para crescer? Qual é a realidade que encontra nos diferentes locais onde tem as suas lojas?
O mercado, inevitavelmente, continuará a crescer e não poderia ser de outra maneira, visto que transacionamos bens de primeira necessidade. Isto não impede que tenhamos de estar atentos e preparados para os ajustamentos cíclicos que ocorrerão, seguramente.

Na edição de 2021 foram distinguidos pela Scoring como uma das Top 5% Melhores PME de Portugal. O que representa, para si, este reconhecimento?
Este reconhecimento foi a melhor “comissão” que alguma vez recebemos. Nesse momento certificamo-nos de que caminhamos, ao longo destes anos, pelo caminho certo. Além disso, foi a satisfação de perceber que valeu a pena todo o esforço, empenho e dedicação que temos dado em prol do nome da Arcobarca. Primamos sempre pelo rigor no desempenho dos negócios, bem como na gestão, para além de que temos muito cuidado com a vertente financeira. Obviamente que para isto também contribuiu a minha convicção de que não é crime ganhar dinheiro e que as empresas precisam de o fazer, pois o Estado não cria riqueza por si. Contamos sempre e somente connosco, cumprindo a tempo e horas os nossos compromissos, gerindo racionalmente os nossos recursos, procurando crescer de forma sustentável e não nos envaidecendo com o sucesso.

Arcos de Valdevez

Dispõem de estabelecimentos em Arcos de Valdevez, Paredes de Coura, Ponte da Barca, Ponte de Lima e no Porto. No futuro, pretendem continuar a crescer e abrir mais lojas?
Aprendi ao longo da vida que nunca devemos dizer “desta água não beberei”. A sustentabilidade de qualquer empresa está no seu crescimento, a expansão é uma das formas de crescer e, por isso, ainda sonho com a “Arcobarca Internacional”.

Contacts:
Posted by: AdminPEDteste on
Tags: