MO e IPO do Porto unem esforços em campanha de sensibilização para a prevenção do cancro da mama

Uma entrevista especial conduzida por Catarina Furtado a Joaquim Abreu de Sousa, Coordenador da Clínica de Mama do IPO do Porto, tem o propósito de passar uma mensagem a todas as mulheres para cuidarem de si e prevenirem esta doença. Através de um formato de entrevista, o objetivo é informar, esclarecer dúvidas e apelar à prevenção e ao diagnóstico precoce do cancro da mama.

A MO associa-se por mais um ano ao Movimento Rosa, iniciativa que durante outubro, o mês internacional da prevenção do cancro da mama, procura mobilizar a sociedade para a luta contra esta doença.

 

Desde 2019, e em associação com os três IPO’s (Porto, Lisboa e Coimbra), a MO tem desenvolvido campanhas de responsabilidade social para sensibilizar para a prevenção e diagnóstico precoce do cancro da mama.

 

Este ano, Catarina Furtado junta-se à MO e ao IPO do Porto, conduzindo uma entrevista com Joaquim Abreu de Sousa, Coordenador da Clínica da Mama do IPO do Porto. Uma entrevista em formato vídeo, visível desde ontem, 30 de outubro (data que assinala o Dia Nacional da Prevenção do Cancro da Mama) nos canais digitais da marca de moda portuguesa e do IPO do Porto.

 

Numa conversa em tom informal e descontraído são abordados sem tabus alguns temas em torno de uma das doenças com maior impacto na sociedade. Incentivar à prevenção e à importância do diagnóstico precoce é o grande objetivo desta iniciativa, que responde a uma ampla variedade de perguntas: “Em que idade estou em risco?”, “O que posso fazer para diminuir o meu risco de cancro da mama?”, “O que fiz para ter cancro da mama?”, “Devo fazer o autoexame da mama?”, “Quando devo começar a fazer exames de rastreio?”, “Como vai ser a minha vida agora que tenho cancro da mama?”, são algumas das questões abordadas por Joaquim Abreu de Sousa.

 

Para Joaquim Abreu de Sousa, “o verdadeiro progresso na luta contra o cancro da mama implica o diagnóstico da doença em fase inicial do seu desenvolvimento e o tratamento de acordo com a melhor evidência científica, mas exige também que a prevenção se torne uma prioridade. A prevenção do cancro da mama pressupõe uma maior investigação científica na identificação e na redução dos fatores que aumentam o risco de cancro da mama. Investigadores, clínicos e educadores desempenham, hoje, um papel crítico na tradução, comunicação e divulgação dos resultados da investigação científica, para responder às preocupações da sociedade e promover hábitos de vida saudáveis.”

“Neste âmbito, esta iniciativa da MO é um contributo importante na sensibilização da sociedade para a prevenção e diagnóstico precoce. Agradeço à MO pelo contínuo apoio a esta causa”, conclui.

 

Para Catarina Furtado, “É que não acontece mesmo só às outras pessoas! Sabemos que o cancro de mama está a aumentar e sabemos também que os tratamentos estão cada vez mais evoluídos para que possam salvar vidas. Conheço muitas mulheres que passaram e estão a passar por este enorme desafio. Eu quero ajudar a informar para que sejamos todos e todas cada vez mais participativos e responsáveis pelas nossas vidas! A convite da MO tive a oportunidade de entrevistar quem realmente sabe sobre esta doença e encara a sua profissão de médico como uma verdadeira missão. Ouçam o Dr Joaquim Abreu de Sousa e tirem notas. Espalhem as informações e façam também parte deste Movimento Rosa que nos quer dar um número cada vez maior de boas notícias.”

 

Para Diana Teixeira Pinto, diretora de marketing e e-commerce da MO, “É com muito orgulho que, pelo 4º ano consecutivo, nos associamos ao IPO do Porto para continuar este Movimento Rosa. Este ano quisemos colocar toda a força desta campanha no tema da prevenção do cancro da mama, ajudando a salvar vidas colocando a informação certa nas mãos e ouvidos de todas as pessoas. Em conjunto com o IPO do Porto, desenvolvemos algumas ações, desde distribuição de flyers e laços rosa aos clientes das nossas lojas físicas, até à concretização desta entrevista tão especial. Queríamos falar com as pessoas de uma forma mais humana e próxima, de pessoas para pessoas, e o formato de entrevista pareceu-nos perfeito para isso. O facto da Catarina Furtado ter aceite o convite e se ter juntado ao nosso movimento, deixou-nos muito felizes, pois acreditamos que é a pessoa certa para amplificar esta mensagem e nos ajudar a alcançar mais mulheres e as suas famílias”.

 

O cancro da mama é o segundo tipo de tumor mais frequente no mundo e o mais predominante entre as mulheres, sendo raro nos homens (cerca de 1 em cada 100 são detetados em homens). Em Portugal, com uma população feminina de 5 milhões, foram diagnosticados em 2020 cerca de 7.000 novos casos de cancro da mama.

 

Esta campanha reforça as iniciativas de responsabilidade social da marca – apelando à prevenção e diagnóstico precoce, fundamental para reduzir o impacto negativo desta doença, e essencial para salvar vidas.

 

Contacts:
Posted by: Portugal em Destaque on